CONEXÃO

por | dez 23, 2020 | Sem categoria

Se a gente tivesse que escolher uma palavra para definir 2020, a Rebento escolheria “conexão”. Por quê? “Minha conexão está ruim”; “Acho que não te ouço, é a sua conexão ou a minha?” Em um ano tão “online”, foi isso que veio à sua cabeça primeiro, não é mesmo? Porém, por aqui, a gente discorda (um pouquinho!). É que a gente acredita que foram graças a elas – às conexões realizadas durante o ano – que chegamos até aqui –, com uma bagagem pesada de aprendizados e até mesmo sorrisos, sim! Se este substantivo pode ser definido pelo “estado de coisas ligadas”, as “coisas” aqui foram as pessoas. O maior desafio para a Rebento foi esse: manter nossas conexões e criar outras. Somos feitas de histórias, de ouvir, de cuidar. Por isso, o início da pandemia foi tão assustador. Como continuar fazendo isso? Como conectar, sem tocar?

Foi aí que nós descobrimos que o nosso poder de conexão nos faz mais fortes! Ainda mais em um ano que, de tanto “novo normal”, não teve é nada de comum. Seja para transformar as possibilidades dos nossos clientes ou para cuidar ainda mais da RebenTEAM. Nossa equipe se consolidou: mais da metade dos membros atuais entraram para o time quando o sistema adotado já era o home office. Conseguimos recontratar, seja permanentemente ou em esquema de freelancer todos as demissões que a empresa teve que fazer. E aí, a surpresa! A empresa até precisou de novos braços! Veio o questionamento: como trabalhar com pessoas que nunca tocamos, que nunca vimos, que nunca abraçamos? O desconhecido assusta! Mas, semana a semana, fomos nos conhecendo, desbravando esse novo formato que veio para ficar.

Assim, dissemos adeus à hábitos antigos, seguramos a saudade apertando e aceitamos de peito aberto os novos desafios. Foram muitos! Não dá para dizer que foi fácil: às vezes, as conexões caíram, achamos que tínhamos perdido a senha, até chegou a congelar em alguns momentos. Mas com carinho e afeto, a gente foi se aprumando, se esquentando! Dessa forma, fomos criando uma nova forma de trabalhar, uma nova forma de viver, de pensar, de trabalhar. Afinal, o que seria da espécie humana – da comunicação! – sem a capacidade de adaptação? Os meses foram passando, a cada “mêsversário” do isolamento, uma surpresa. O tempo passou e hoje, acreditamos que podemos dizer que este foi um desafio que “concluímos” com maestria. Isso se é que dá para dizer que concluímos: afinal, todo fim de ciclo é um novo começo. Torcemos para que 2021 seja cheio de novos aprendizados, cheio de novas conexões.